domingo, 22 de novembro de 2009

(Klimt, The Kiss)



Calor, calor, calor, é só isso que eu consigo dizer além de: preciso de outro banho gelado.
Pois é, estou sem um pingo de ânimo para qualquer coisa. Esse calor, definitivamente, me atordoa.
Fico sabor limão azedo. :P

Tenho tanto e-mail não lido (e não resolvido) na caixa postal que ando com medo de uma rebelião interna por aqui. Daqui a pouco meu computador entra em greve por causa disso.

Dormi tanto no feriado (salve Zumbi!) que acordei com dor nas costas. Estava mesmo precisando. O engraçado é que só o corpo descansou. A mente anda a mil.

Maurício de Sousa lançou, na revista da Tina, seu primeiro personagem gay, o Caio.
Comprei!
Sou fã, você sabe. E, é tão primitiva essa relação que as pessoas têm com a sexualidade alheia que me dá preguiça. Além do mais, jogar pedra no telhado dos outros é sempre deselegante (e perigoso).

Peguei dois filmes pra ver esses dias: Coraline e Crepúsculo. Você leu direito: Crepúsculo. Todo mundo está falando tanto que resolvi arriscar. A verdade é que é bonitinho. E só.
Romantiquinho e para adolescente.
Vai parecer que eu sou uma velha de 200 anos, mas não há cena vampiresca mais linda e sexy no mundo que o Vlad (o drácula de Bram Stoker) virando fumacinha e entrando nos lençois de Mina, a reencarnação da mulher que sempre amou. Pirei a primeira vez que eu vi. Acho lindo toda vez que vejo.
Você sabe, sou romântica. Vênus em touro.
Sem esquecer, é claro, de Anne Rice. Faz muitos, muitos anos que li. Mas lembro, nitidamente, de ter adorado.

Aleluia. Chove. Não gosto, mas se é para melhorar o calor, está valendo. Desde que não haja exageros, claro.


Estou lendo o terceiro livro da quadrilogia (esse nome existe?) do Douglas Adams. Está chato na maior parte do tempo. Ao contrário dos outros dois, que me fizeram rir muito. É claro que tem coisas ótimas também, como o POP" (problema das outras pessoas) e a relação que o autor faz com o espaço-tempo x os restaurantes.


Hoje foi dia de apertar o aparelho. Até a minha alma está doendo. Já me conformei.

Um amigo me perguntou, esses dias, o que fazer para conquistar uma mulher (aparentemente) difícil. Na hora, talvez por causa do chope ou por estar com sono, eu não tenha respondido direito. Mas, depois pensei um pouco sobre o assunto. Nenhuma mulher gosta de ser a quarta da fila. Isso é fato. Não tem mulher que não goste de se sentir especial, desejada e única.
É aquela velha máxima: todo homem quer ser o primeiro da vida de uma mulher. E toda mulher quer ser a última da vida de um homem.
Além do mais, romantismo pode estar fora de moda na teoria. Na prática, continuamos adorando.
Você concorda? Ou... não?

E é isso.



2 comentários:

Parn disse...

Eu já tenho outra cena vampiresca linda e sexy em mente: aquela com Susan Sarandon e Catherine Deneuve em Fome de Viver. =)~

Já vi o termo quadrilogia por aí. Mas na verdade o Mochileiro das Galáxias não é uma quadrilogia, e sim uma trilogia de quatro livros. O engraçado é que existe ainda um quinto livro. ;P

Lidiane disse...

Oi, menino.
Carambolas, eu (ainda) não respondi a esse comentário.
E, como ninguém vai ler mesmo (acho que nem você), posso falar bobagem.
:)

Eu ainda não vi esse filme.
Que tal vermos juntos, hum? ;)
Já foi provado cientificamente que se você já viu um filme e eu ainda não vi, eu vou gostar. Mesmo que eu durma um tiquinho por conta do sono e você fique muito bravo com isso.
Convite feito. Vou fazer bolo de chocolate e comprar coca-cola.
E "mumificar" os dois, esperando as suas férias. :P
Beijos.