domingo, 27 de setembro de 2009


(Nicoletta Tomas Caravia)

Ele me disse, entre um sorriso esquisito e um cigarro, que o tesão pela minha inteligência era tanta, que queria lamber meu cérebro. E foder com o meu verbo.
A minha repulsa não foi pelo cigarro, pela imagem do cérebro lambido, a minha repulsa não foi por ele.
Foi por aquele tênis imaculado.
Branco. Virgem de caminhar pelo mundo. E aquelas mãos de quem nunca trabalhou.
Como eu vou amar quem não vive por medo de se sujar?
Não, eu gosto de quem se encoxa com a vida, de quem arrisca o que não tem. Eu gosto de abrir os braços e sentir que meu corpo se abraça ao desejo de quem andou por aí e voltou repleto de delícias, num sorriso frouxo. Incorruptível e com histórias para contar.
.

11 comentários:

Anônimo disse...

Finalmente você voltou.... a Lidiane que aprendi a admirar, a mulher voluntariosa e que sabe dizer o que quer. estava com saudade DESSA Lidiane.

Anônimo disse...

Humpf para o comentário acima. Lidiane é Lidiane. Nem mais nem menos, nem outra. E não precisa aprender a admirar... Isso é como aprender a respirar.

vana disse...

Li quase tudo, to com pena de acabar (como se não fosse ter mais depois, rs). Lidi AMEI as suas fotos, elas me incentivaram a não desistir kkkkkk Um dia eu chego no seu nível, rs. Te amo/adoro. Beijo.

vana

Lidiane disse...

Pessoas (poucas e queridas). Como, no máximo, dez pessoas têm o endereço deste meu querido e empoeirado blog, não fica muito difícil imaginar quem sejam os anônimos. :P
É até engraçado isso. Anônimos entre dez... risos!
Vou até responder os comentários dessa vez.
E sabe, não tenho um pingo de saudades de ter um blog super-frequentado. Aqui, sei que estou entre os meus. E isso me faz tãooooooooo feliz!
Obrigada. Mesmo!

Anônimo 1 (o anônimo que gosta DESSA Lidiane): muito obrigada. Mas lembro que todas as Lidianes, vem no kit completo Lidiane. Não dá pra levar pra casa uma, sem a outra. Mas, entendi o elogio e agradeço. E sabe, acho que sei quem é você. Então, um beijo (onde quiser).

Anônimo 2: Você deve ser uma menina pelo jeito que escreve. E se é uma menina, é uma das minhas poucas e queridas amigas. Obrigada pelo carinho. Adorei o "humpf".

Vana: saudades imensas de você. Estava lembrando de você e do Beto dia desses.

Beijos a vocês três.

An

Simplesmente Outono disse...

Conhecendo este espaço. Gostei e voltarei.
Eu, Simplesmente Outono.
Ps.: "Ele me disse, entre um sorriso esquisito e um cigarro, que o tesão pela minha inteligência era tanta, que queria lamber meu cérebro. E foder com o meu verbo".
Nunca li ao tão instigante. Conheço em detalhes uma inteligência assim. E gosto!

Simplesmente Outono disse...

Linkei!

Rafael disse...

Olá! Cheguei aqui pelo blog do Laerte. Some aos dez conhecidos um desconhecido rs.
Inté.

Lidiane disse...

Simplesmente Outono: obrigada pela delicadeza do comentário. Muito gentil e querido.
E sabe, quem me disse o que você gostou, de fato, é uma pessoa rara. Mas, completamente pirada. risos. :)
Confesso que também gostei da frase, por isso, ela está aqui.

Rafael: o Laerte é "o" cara, né?
Há anos (mesmo) eu gosto do que ele faz. Aliás, sou viciada em tirinhas e HQ. :P
E, bem-vindo ao "clube dos dez". Espero que você seja o 11º.

Anônimo disse...

Gostei muito do que lí. E de fato quer-se ter alguém que traga a liberdade consigo, tênis cheios de rodar o mundo e histórias que você nunca ouviu, mas que te ajudam a viajar junto.

Um grande abraço, lindo post!
[e que pintura linda também, han?]
Greice nascimento

Anônimo disse...

Ah, agora lembrei o que essa pintura me faz recordar instântaneamente, um poema de Drummond: "sugar e ser sugado pelo amor...no mesmo instante boca milvalente,o corpo dois em um,o gozo pleno..."


Greice N.

Lidiane disse...

Oi. Greice.
Gosto muito de quem tem coisas para me ensinar. E junto com essas coisas, vem a liberdade de poder enxergar o mundo com mais clareza.
Gosto de tênis "sujo" e gosto de Drummond.

Beijos.